ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Inscreva-se abaixo para receber nossos conteúdos

Visita técnica ao município de Campo do Brito define nova ação do ProjetarSE

Na quarta-feira, 04, a equipe técnica do ProjetarSE viajou até o município de Campo do Brito, na região agreste central do estado de Sergipe, para dar início a mais uma parceria. A visita teve como objetivo fazer a apreensão de informações sobre  a área de intervenção do projeto, assim como recolher dados com a equipe da gestão municipal sobre os condicionantes locais que ajudam no processo de definição das diretrizes do trabalho. 


Distante 64 quilômetros da capital sergipana, o município de Campo do Brito tem sua colonização ligada às primeiras concessões de sesmarias no vale do rio Vaza-Barris. De acordo com o IBGE (2021), os padres jesuítas obtiveram terras em sesmaria, em 10 de março de 1601, junto à Serra da Cajaíba, na tapera de Pirapoan, entre o vale do Vaza-Barris, a Serra de Itabaiana e subindo o rio. Da mesma forma, foram dadas terras a Francisco da Silveira e muitos outros. A tradição guardou o nome de uma família, os Brito, que usou os campos para a criação de seus animais, e que, mesmo não deixando vestígios ou descendência conhecida, deu nome ao local.


O município está inserido na bacia hidrográfica do rio Vaza-Barris, sendo drenado pelo Rio das Pedras localizado entre os municípios de Campo do Brito (povoados Serra das Minas e Garangau) e Itabaiana (povoados Cajaíba e Ribeira). Sua principal atividade econômica está ligada à mandioca e seus derivados, principalmente a farinha e a tapioca. Mais recentemente, o município também vem investindo na apicultura, produzindo o mel Serra da Miaba e oportunizando o turismo de experiência com visitas e uso das vestimentas no apiário. Ainda a título turístico e esportivo, Campo do Brito é reconhecida como a capital sergipana do mountain bike.


Dentre as manifestações culturais locais mais tradicionais estão o grupo de reisado Zé Puro, que existe há 45 anos, liderado por Carlos Lapa, que também é o presidente da Cooperativa de Produtores de Farinha de Mandioca (COOFAMA); o grupo de São Gonçalo com o Mestre Carlos de Dáda; a filarmônica municipal e a tradicional banda de pífanos, chamada São José, que possui mais  de 100 anos de existência. 


Já no município, o primeiro ponto de parada foi a prefeitura municipal para uma conversa com o gestor municipal e sua equipe. Seguindo o roteiro, foi visitada a área que será objeto da intervenção do ProjetarSE, localizado ao lado da Escola Municipal Maria Delfina Celestino de Oliveira. Em seguida, a equipe técnica foi apresentada a alguns pontos importantes do município, tais como: a Cooperativa de Produtores de Farinha de Mandioca (COOFAMA), e o Centro de Processamento e Derivados da Mandioca, importantes para o setor econômico local; a Barragem, composta pelo riacho da Traíra e o Rio das Pedras, que serve ao lazer, sendo também utilizada para a irrigação de cultivos agrícolas e para o desenvolvimento da piscicultura (com tanques ou viveiros especialmente construídos para tal atividade); finalizando na Serra dos Montes, popularmente conhecida como serra de São José de onde é possível observar tanto a Serra da Miaba, quanto a Serra de Itabaiana.


05/05/2022 19:12:00.
Imagens nesta Publicação:
Fotos: Ascom ProjetarSE